X

Privacidade & Cookies

Este site utiliza cookies. Ao Continuar, você concorda com o uso deles. Saiba mais, incluindo como controlar cookies.

Consegui!

Publicidade

Foto por Angela Talley

Se o sucesso musical foi medido pelo número de outros artistas que respeitam e querem trabalhar com você, então Suzi Ragsdale tornou-lo em espadas. Tendo uma longa lista de suas músicas cobertas por outras pessoas e cantando atrás de muitas no palco e no disco, ela há muito provou seu valor. Já faz um tempo desde que ela gravou sozinha, e em 9 de outubro, ela lançará um EP de seis faixas “Ghost Town” marcando sua primeira gravação em 10 anos. Experimente o som e a beleza de seu vídeo para o primeiro single “Wildflowers.Suzi é filha da lenda do Country Music Hall of Fame, Ray Stevens, que ainda está forte com seu show regular de CabaRay em Nashville. (Provisoriamente definido para reabrir no final deste mês.) Junto com seu colaborador de longa data, Sam Frank, pai ajudando na produção do novo EP.

meus agradecimentos a Suzi por suas interessantes e detalhadas 11 Respostas abaixo. Desejo a ela o melhor no novo disco e estou ansioso para vê-la cantar quando os tempos melhorarem. Ah, sim, e se yoga é sua coisa, Suzi dá aulas há décadas!

de onde você é originalmente, quando você se mudou para Nashville e por quê?Acredite ou não, eu sou um dos relativamente poucos músicos que nasceram em Nashville. Como a questão sugere, a maioria dos músicos e artistas migram para Nashville para a comunidade criativa e solidária de jogadores e escritores aqui. Há mais trabalho a ser tido e mais colaboradores e estúdios e editores e assim por diante. Somos a Broadway ou Hollywood da música, juntamente com Austin, Nova York e Los Angeles. Tantas grandes cidades musicais do mundo, mas Nashville provou ser muito especial e excepcionalmente desejável. Meu pai é um dos músicos que vieram para Nashville, intencionalmente, de Clarkdale e Atlanta, Geórgia, em 1962. Nasci em 1964 e cresci em estúdios de gravação e salas de música, instrumentos e tocadores em todos os lugares, o tempo todo. Eu nunca considerei qualquer outra profissão, exceto pelo meu trabalho de meio período de liderar aulas de fitness e ioga nos últimos 35 anos ou mais. Isso realmente não parece um trabalho, embora J.

quais são os primeiros e os últimos registros que você comprou e onde você os comprou? Eles eram CD, vinil ou digital?

o primeiro disco certamente teria sido vinil, embora eu tivesse 8 faixas e cassetes na minha infância. As primeiras memórias de ouvir são todas de tocar discos de meus pais, principalmente os Beatles, Elton John, James Taylor, Randy Newman, Stevie Wonder, Willie Nelson … eu poderia continuar. Mas o primeiro que eu comprei em uma loja de discos foi provavelmente Carole King, Linda Ronstadt, Karla Bonoff ou talvez antes mesmo, a “nova chave” de Melanie.”

os últimos discos que comprei foram CDs. Recentemente lancei meu novo site, suziragsdale.com, com a ajuda de projetar Katherine Forbes da linha. Ao pesquisar outros sites, ela construiu, revisitei a música de minha amiga Mary Gauthier e comprei seu pacote de dez CDs. Belo escritor e voz neste mundo.

primeiro e último concertos ao vivo que você já viu?

Hmmm. O primeiro concerto ao vivo foi certamente do meu pai (Ray Stevens), antes que eu pudesse sair sozinho. A não ser que os meus pais nos levassem ao espectáculo de outra pessoa. Minha primeira lembrança disso foi quando Papai estava fazendo um segmento no Telethon Jerry Lewis e ele e minha mãe me trouxeram e minha irmã, Timi, para o programa de TV ao vivo. Na época, talvez em 1970, havia uma sitcom na TV chamada Family Affair e uma de suas estrelas infantis era Johnnie Whittaker. Jody era o nome de seu personagem e Buffy era sua irmãzinha ruiva. De qualquer forma, eu divago, então, Johnnie Whittaker estava lá! No Teleton. E Timi e eu temos que conhecê-lo e tirar nossas fotos com ele e cantar “it’S A Small World After All” com ele! Legal para uma criança de seis anos.

então, em 1979, fui com amigos ao Auditório Municipal para ver Sim na rodada com ato de abertura, Pat Travers. Boom Boom (apague as luzes)!

o último concerto ao vivo foi levar meu amigo e produtor, Sam Frank, ao CabaRay para ver o show do meu pai. Isso foi no início de março deste ano, antes que o coronavírus fechasse todas as grandes reuniões até aviso prévio. Pouco antes disso, no Dia Dos Namorados, Sam e eu participamos do concerto dos Wood Brothers no Ryman Auditorium.

cuja estrela deve ser adicionada à Calçada da Fama da cidade da música?

Jason Isbell e a Unidade 400!!!!!

onde você vai em Nashville para café e pizza?

não é um grande bebedor de café, geralmente tenho apenas uma xícara em casa. Sempre gostei do Bongo Java na Belmont Blvd. embora. Desde que me mudei para Kingston Springs, descobri a pizza Skyking. A lenha e feito à mão por encomenda, é facilmente a melhor pizza que já tive, e se eu ainda estivesse em Nashville, ficaria feliz em fazer a viagem de 30 minutos para uma de suas criações artesanais. Antes que eu soubesse de Skyking, eu iria para Mafiaoza na 12th Avenue Se eu tivesse um desejo de pizza.

Qual é o seu disco favorito para sair de Nashville?

bem agora, isso é quase impossível de responder! Talvez o Darrell Scott’s Aloha de Nashville? Talvez o meu pai ligue o seu rádio ou Misty? Talvez o sudeste de Jason Isbell ou algo de Guy Clark ou Kristofferson. Eu poderia listar mil e não ser capaz de dizer “é isso! Esse é o meu favorito!”É como perguntar Qual é a sua cor ou comida favorita. Gosto de tudo o que é bom. E isso é potencialmente subjetivo.

onde é o melhor lugar para comer tarde da noite depois de um show?

de volta ao dia, como se costuma dizer, o Sunset Grill em Hillsboro Village tinha um ótimo menu noturno. Antes mesmo, quando eu saía do Bogey’s depois de um show de Pat McLaughlin, nos encontraríamos no B. Palola’s na Hayes Street para Gouda en croute assado. E há o Restaurante Hermitage na 1st Avenue North Para Bife e ovos às 2 da manhã. Hoje em dia, talvez a lanchonete em 3rd & Demonbreun. Eles eram um lugar 24 horas com seis andares de opções de refeições: sushi, frango quente, o nome dele. Atualmente, todo mundo tem que desligar às 22h em um esforço aparentemente arbitrário para impedir a propagação do COVID-19 (Como se eu não pudesse pegá-lo às 9h55?). Eu prefiro estar seguro do que arrependido, então meu lugar favorito seria em casa! Eu amo cozinhar e estou sempre voraz depois de um show.

O Bluebird chama e pede que você hospede um ” na rodada.”Escolha três compositores locais para se juntar a você.

Hmmm … tantos para escolher! Talvez Rodney Crowell, Gabe Dixon e John Hiatt? Don Schlitz, Pat McLaughlin e Beth Neilson Chapman? Marcus Hummon, Mary Gauthier e Darrell Scott!

quais são os seus locais de música favoritos para tocar na cidade?

até junho eu teria dito Douglas Corner. Essa foi a minha base para jogar desde 1991. Infelizmente, o local na 8th Avenue S. e Douglas fechou, mas estou ansioso para a ressurreição on-line que me disseram está em andamento! Sempre gostei de tocar no Bluebird também. Cantou harmony com Frank Sheen lá no ano em que foi inaugurado, 1982, eu acho, quando Amy Kurland possuía e operava. 3rd e Lindsley também são fantásticos. Sempre foi, mesmo antes da grande remodelação.

nomeie um músico que você gostaria de ver se mudar para cá.Paul Simon? Randy Newman? Eu sei! O meu produtor, Sam Frank! Nashville iria comê-lo.

finalmente, o que há no seu futuro musical?

eu sou todo para ter objetivos e fazer planos, mas eu aprendi que eu não posso prever o futuro e que os melhores planos estabelecidos, etc. Meu maior desafio é estar presente, então não perco o momento e tudo o que ele tem a oferecer. Dito isto, eu poderia fazer um quadro de visão com fotos e coisas que representam esses objetivos sendo alcançados. O vision board incluiria fazer um ou dois discos com meu pai, mais cedo ou mais tarde, organizar shows ao vivo com meus jogadores favoritos, fazer turnês e tocar festivais e shows de compositores em todo o mundo e escrever e gravar novas músicas sempre que possível. Mais imediatamente, como estamos todos ficando em casa um pouco mais, eu pretendo passar por todas as pequenas pilhas e pedaços de papel com idéias líricas rabiscadas sobre eles e ver o que salta para mim, implorando para ser escrito. Tocar mais piano e acordeão e, finalmente, passar um tempo com a linda guitarra parlor que comprei no ano passado. Se eu for abençoado com uma vida longa, espero estar fazendo música, ouvindo, aprendendo e compartilhando, até o fim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.